Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Histórico

Conheça os projetos da edição 2020 classificados para a etapa da Comissão Julgadora

postado em 13/08/2021 12:56 / atualizado em 13/08/2021 13:11


A edição 2020 do Prêmio Nacional de Educação Fiscal, parcialmente suspensa em função das restrições decorrentes da pandemia da Covid-19, recebeu, no ano passado, o total de 246 projetos, sendo 122 inscrições de escolas, 80 de instituições, 27 de imprensa, 17 de tecnologia.

Na Etapa Estadual, foram classificadas 42 escolas e 33 instituições. Esses projetos receberam as maiores notas (Clique aqui para acessar a relação nominal) e agora passam para a última etapa do concurso, a avaliação da Comissão Julgadora, em seguida a publicação dos finalistas do ano e, logo após, a solenidade de premiação que acontecerá em março de 2022.

Confira as próximas etapas da premiação:

a) Os projetos classificados poderão enviar materiais complementares para a avaliação da Comissão Julgadora até o dia 30 de setembro de 2021, devidamente identificados no envelope com nome do projeto e coordenador (a) responsável, para o endereço:  Febrafite (Federação Brasileira de Associações de Fiscais de tributos estaduais) SRTVN – QD. 702 – BL. “P” Ed. Rádio Center – Salas 1056 A 1059. Asa Norte, Brasília/?DF. CEP: 70.719-90

b) No período de 1º a 4 de fevereiro de 2022, serão realizadas reuniões presenciais da Comissão Julgadora para avalição dos Projetos – Edição 2020. O trabalho acontecerá na sede da Febrafite, em Brasília.

c) Entre os dias 7 e 11 de março de 2022 (local a definir), acontecerá a solenidade de entrega do Prêmio Nacional de Educação Fiscal – 2020, em formato híbrido, ou seja, presencial e com transmissão pela internet. Nesse evento também acontecerá o lançamento de edição bienal (2021 e 2022).

Importante destacar que todos os projetos inscritos nas categorias Tecnologia e Imprensa seguem para a Comissão Julgadora.

Criado em 2012, o Prêmio Nacional de Educação Fiscal valoriza projetos que trabalham com conceitos tributários básicos, sobre a função social dos tributos, a atuação do Fisco no Estado Brasileiro, o combate à sonegação e à corrupção fiscal, a importância do cumprimento das obrigações tributárias, o cumprimento das obrigações tributárias pelos cidadãos, acompanhamento das contas públicas, controle público das contas, transparência e a qualidade do gasto público, a preservação do patrimônio público, combate ao vandalismo, entre outros que enfatizem a necessidade de zelo com os bens públicos e, ainda, iniciativas que estimulem a produção de trabalhos jornalísticos e aplicativos relacionados ao tema.